Segunda-feira, 29 de Dezembro de 2014

«Nunca pensei ficar tanto tempo parado» - Simão

gk.png

© Record

 

R - Em que fase se encontra a sua carreira? Terminou contrato com o Espanyol, em Junho, e 6 meses depois continua sem clube. O que se passa?

S – É uma situação que eu não esperava. Apareceram algumas propostas depois de eu ter deixado o Espanyol, que fui recusando por não corresponderem ao que eu desejava para continuar a carreira. Falei com o Jorge Mendes (empresário) e ele disse-me para eu ficar tranquilo, que acabaria por aparecer uma solução boa.

R – Que entretanto não apareceu…

S – Pois não. Chegaram algumas propostas, sim, mas nada interessantes. E nem sequer me refiro à parte financeira. A realidade é que, aos 35 anos, sinto-me capaz de ainda jogar a um bom nível. Aliás, pretendo jogar mais duas épocas. Só que os projetos, os clubes e os países que me apareceram é que não me agradam.

R – Porquê?

S – Porque tenho filhos e, nestas alturas, sou obrigado a pensar neles e em tudo o que envolve mudanças de país.

R – De que países está a falar?

S – A proposta mais séria que surgiu foi da Índia. Ainda cheguei a ponderar, mas havia um problema. Na mesma altura em que este convite surgiu tinha também a possibilidade de ir para o Dubai. E se aceitasse a mudança para a Índia, que era para um contrato de 3 meses, teria de abdicar do Dubai.

R – Acabou por não ir para nenhum dos lados.

S  -Recusei a Índia porque o meu objetivo era mesmo o Dubai ou os Estados Unidos. Infelizmente, a hipótese dos Estados Unidos, que me agradava muito, viria a falhar porque a pessoa que me queria estava lá para comprar o clube e, à última da hora, acabou por desistir. Daí para cá, as abordagens têm continuado, mas até ao momento nada se concretizou.

R – E convites de Portugal?

S – De Portugal, não. Sempre disse que gostaria um dia voltar ao Benfica e também sempre disse que, para voltar, isso só seria possível enquanto me sentisse em condições de ajudar. Nem podia ser de outra maneira. Para fazer número e ser apenas mais um, fora de hipótese. Mas…não, não. De Portugal ninguém falou comigo.

R – Nunca esteve tanto tempo sem jogar como agora. Está a ser duro?

S – É uma situação muito estranha, mesmo. Nunca pensei ficar tanto tempo parado. Aliás, por tudo o que fiz na carreira e por tudo o que conquistei, nunca pensei que teria dificuldade em encontrar um clube para poder prosseguir. Sei que o tempo passa por todos, mas, mesmo assim, sempre acreditei que aos 35 anos ainda iria estar a jogar a um nível interessante e num clube onde pudesse ser feliz.

R – O regresso a Portugal poderia acontecer por outra porta que não a do Benfica? O Braga, por exemplo?

S – Sim, poderia ser interessante. Porque quero continuar a jogar e porque sinto que tenho condições para isso. A verdade, como já disse, é que nem sequer fui abordado por qualquer clube português…

R – A ideia é resolver a situação agora no mercado de Janeiro?

S – Sim, tenho recebido alguns contactos e acredito que muito em breve estarei de novo em atividade.

R – Está em condições físicas para competir de imediato?

S – Sim, sim. Treino todos os dias. Estou a trabalhar com um preparador físico pessoal, que já conheço desde os tempos do Atlético de Madrid. É uma pessoa que me conhece bem e que me tem ajudado.

R – É fácil encontrar motivação para treinar-se sozinho aos 35 anos?

S – Para mim é muito fácil. Sempre gostei de treinar, de me superar. Já no Atlético de Madrid, quando tinha este mesmo preparador, treinava de manhã no clube e treinava à tarde, sozinho, com ele. Sempre me preocupei com a parte física. Aliás, sinto-me muito bem a fazer desporto. Sinto-me mal é quando não treino…(risos)

R – Onde é que treina?

S – Em casa, no ginásio. Eu também na praia.

 

Fonte: Record

publicado por Sara Branco às 16:46
link do post | comentar | favorito
Domingo, 28 de Dezembro de 2014

«Benfica vai ser bicampeão» - Simão Sabrosa

© Record

 

Deixou a Luz em 2007, assume que é hoje 100 por cento benfiquista e acredita que 6 pontos de vantagem chegam para revalidar o título. O ex-capitão das águias quer voltar em breve aos relvados.

 

R – Já passaram 7 anos desde a sua saída do Benfica. O que lhe parece o desempenho do clube nos últimos tempos?

S – Está numa onda vencedora. Criou uma dinâmica de vitória e hoje toda a gente sabe que para jogar no Benfica só pode pensar dessa maneira: ganhar e vencer campeonatos. Para além disso, tem tido a capacidade para estar em finais europeias, apesar de não as ter ganho. Mesmo assim, é muito importante chegar lá. E o Benfica conseguiu isso em duas temporadas consecutivas. Internamente, passou a estar sempre na luta pelo título. Ou ganha ou é 2º classificado. Balanço positivo, claro.

R – Esta temporada voltou a falhar na Liga dos Campeões.

S – Não quero fazer críticas, mas é óbvio que, como todos os benfiquistas, gostava de ter visto a equipa chegar mais longe nesta competição. É bom ter sucesso na Liga Europa, mas a Liga dos Campeões é outra coisa…Quem disputa as duas provas percebe bem a diferença.

R – Viu os jogos do Benfica esta época na Champions?

S- Vi, todos.

R – O que falhou?

S – Não sei…Não quero fazer qualquer crítica, sinceramente. Ouvi alguém dizer que faltou motivação para disputar a Liga dos Campeões, mas isso não faz qualquer sentido. Só o facto de se ouvir aquele hino já faz disparar a motivação. Portanto, não foi por aí. Não sei bem o que falhou. Talvez tenha faltado algum rigor, alguma intensidade. Talvez tenha sido isso. Mas eu estou fora.

R - Saíram jogadores importantes e muito difíceis de substituir.

S – É verdade, sem dúvida. E também é preciso reconhecer que têm acontecido muitas lesões, nalguns casos de jogadores fundamentais. Mas, enfim, ficará sempre a pergunta: se tivesse mantido os jogadores que saíram, o Benfica chegaria mais longe? Acho que sim, que poderia chegar. Garay, Rodrigo ou Markovic não se substituem facilmente. De qualquer forma, o plantel do Benfica continua a ter muita qualidade.

R – Na Liga, pelo menos, dá para liderar com 6 pontos de avanço.

S – O Benfica está a fazer um excelente campeonato! Muito bom, mesmo. Apesar de haver quem diga que o Benfica conseguiu esta vantagem porque o FC Porto não tem estado tão bem na Liga como na Champions ou que o Sporting tem sido irregular, a verdade é que o Benfica tem feito a sua parte e tem somado pontos. E ganha sempre quem faz mais pontos.

R – As exibições é que não têm sido muito boas…

S - É verdade o último jogo, com o Gil Vicente, não foi brilhante, mas é preciso lembrar que a equipa vinha de dois compromissos muito intensos, frente ao FC Porto e Sp. Braga. E depois daquela eliminação da Taça aos pés do Sp. Braga, nunca seria fácil levantar a moral. Portanto, frente ao Gil, conseguiu o mais importante que era a vitória. E assim deu para manter a vantagem confortável de 6 pontos antes de ir para as férias de Natal.

R – Resumindo: com essa vantagem, o Benfica é o principal candidato ao título. Concorda?

S -  Concordo, claro. Acho que vamos ter um campeonato super interessante a partir de Janeiro e acredito que o FC Porto ainda vai complicar muito a vida ao Benfica – que, no entanto, depende apenas de si próprio para atingir o objetivo. Acredito, por isso, que o Benfica vai ser bicampeão.

R- Do seu tempo resta apenas Luisão no plantel…

S – Pois, já passaram muitos anos (risos). Também lá estão o Salvio e o Pizzi que foram meus colegas no Atlético de Madrid.

R – O Luisão foi o herdeiro da sua braçadeira de capitão. Ainda vão falando?

S – Mantemos um bom contacto. Sempre que vou ao estádio passo pelo balneário e falo com o Luisão. Também falo muitas vezes com o Ruben Amorim. E faço questão, sempre que lá vou, de estar com outras pessoas que conheço bem e de quem gosto, como o Dr. Lourenço (Coelho), o Shéu, os roupeiros, tanta gente!

R – Deu para perceber que se tornou mesmo um benfiquista quase a 100%.

S- (Risos) É verdade. Não escondo isso. O meu filho é doido pelo Benfica, vai a quase todos os jogos na Luz. Continuo a ter um carinho muito grande pelo Sporting e tenho pena que alguns sportinguistas não gostem hoje de mim. Mas admito que parte da culpa é minha, porque fiz um comentário que não deveria ter feito. Obviamente que pedi desculpa. Em relação à minha transferência para o Benfica, a verdade é que, naquele momento, como toda a gente sabe, o Sporting atravessava um momento difícil e não tinha condições para eu poder regressar. Essa é a verdade, embora exista sempre quem não queira perceber.

R - O FC Porto tem vários jogadores de qualidade que o Simão conhece bem do campeonato de Espanha. Como é que se explicam os 6 pontos de atraso?

S – Para quem vai à frente é uma vantagem confortável, mas…não é nada irrecuperável. Creio que se o Benfica mantiver a linha dos últimos tempos, com aquela intensidade de jogo, será sempre o principal candidato. Mas, realmente, é preciso dizer que o FC Porto tem uma equipa muito boa, com jogadores fantásticos. Se subir um bocadinho o nível no campeonato, tal como tem conseguido na Liga dos Campeões, vai complicar muito a vida ao Benfica. Mas é como digo: o Benfica tem armas suficientes para segurar a vantagem.

R - Que lhe parecem as ideias do Lopetegui?

S – Gosto, sinceramente. Mas se eu estivesse naquela equipa se calhar não achava muita piada…

R – Então?

S – Os jogadores não gostam que o onze esteja sempre a mudar. Percebo a questão da rotatividade, mas um jogador não aprecia muito isso. Quando se está bem fisicamente, queremos sempre jogar. Quarta, domingo, quarta, domingo. Sempre.

R – Mas havendo tantas soluções boas no plantel, não faz sentido ir mudando?

S – É por isso mesmo que entendo a rotatividade no FC Porto. Porque há muita qualidade e porque fizeram muitas contratações – algumas, até, para a mesma posição. Logo, é preciso mantê-los motivados. Quem está 6 ou 7 jogos de fora dificilmente encontra motivação quando, de repente, é chamado à equipa. Portanto, há que ir tendo minutos. Mas de uma coisa ninguém tenha dúvidas os grandes jogadores querem jogar sempre.

R – Em relação ao Sporting, o que lhe parece esta primeira fase da temporada?

S – Começou muito bem e tem jogadores de qualidade. O Nani veio trazer uma agitação e uma euforia de que o Sporting estava a precisar. O Sporting e também o futebol português. Mas há mais gente com qualidade, não é só o Nani. Apesar de tudo o que se diz, o trabalho de Marco Silva merece nota positiva. O facto de os jogadores estarem ao lado do treinador é muito revelador. Se houver estabilidade e derem condições ao técnico, acredito que o Sporting vai chegar ao lugar que merece.

R- Como o atraso para o líder já é muito grande e a conquista do campeonato parece improvável, o que é que ainda poderia vir a ser uma época positiva para o Sporting?

S – Positivo seria estar o mais perto possível do Benfica e FC Porto. Estar na luta. Acho que isso já seria positivo. Mas é possível aproximar, claro. Creio que será fundamental o Sporting ganhar os jogos em casa. É aí que tem estado a faltar alguma regularidade. É preciso também lembrar que o clube ainda está em todas as outras competições, Taça de Portugal, Taça da Liga e Liga Europa.

 

Fonte: Record

publicado por Sara Branco às 15:09
link do post | comentar | favorito
Sábado, 27 de Dezembro de 2014

Simão Sabrosa pode estar a caminho do Le Havre

sfhs.png 

 © Record

 

Sem clube desde que deixou o Espanyol, no final da época passada, Simão Sabrosa pode estar à beira de assinar pelo Le Havre, emblema que atualmente segue na 11.ª posição da segunda divisão francesa.

 

Christophe Maillol, que deverá ser anunciado nas próximas horas como o novo dono do Le Havre, já garantiu a contratação do experiente avançado brasileiro Adriano, que também estava atualmente no desemprego.

 

Simão Sabrosa, de 35 anos, jogou no Sporting, Barcelona, Benfica, At. Madrid, Besiktas e Espanyol, contando ainda com 85 internacionalizações pela Seleção Nacional.

 

Fonte: Record

publicado por Sara Branco às 13:52
link do post | comentar | ver comentários (1) | favorito
Quarta-feira, 24 de Dezembro de 2014

Boas Festas!

6-(1).jpg

O Blog Simão Sabrosa 20 deseja ao Simão Sabrosa, aos seus familiares e a todos aqueles que visitam este espaço, um Feliz Natal e um Próspero Ano Novo! Que a paz e a luz destas datas estejam sempre presentes nos vossos corações!

 

publicado por Sara Branco às 18:51
link do post | comentar | favorito
Quarta-feira, 10 de Dezembro de 2014

Férias românticas no Dubai

 © Vip

 

Visivelmente apaixonados. Assim estão Simão Sabrosa Vanessa Rebelo, que se encontram a passar umas férias românticas no Dubai, como comprovam  as fotografias partilhadas nas redes sociais.
 
O futebolista e a decoradora foram pais de um menino, que recebeu o nome do pai, há cinco meses, mas o bebé terá ficado em Portugal ao cuidado de familiares. O casal está junto há dois anos. Ambos têm filhos de anteriores relações. 
 
Depois de terminar o contrato com o Espanhol de Barcelona, Simão Sabrosa está sem clube. 
 
Fonte: Vip
publicado por Sara Branco às 17:46
link do post | comentar | favorito
Este blog é dedicado ao grande jogador, antigo internacional português, Simão Sabrosa, tendo como principal objectivo fornecer a maior quantidade de notícias e informações sobre o seu dia-a-dia, tanto dentro como fora de campo. Para além disso pretendo com isto, homenageá-lo e demonstrar-lhe que mesmo a jogar no estrangeiro, conta com todo o meu apoio. Obrigada pela visita, Sara Branco.

Nome:
Simão Pedro Fonseca Sabrosa
D. Nascimento: 31/10/1979
Idade: 37 anos
Nacionalidade: Portuguesa
Naturalidade: Constantim, Vila Real
Altura: 1,70 cm
Peso: 64 kg
Clube Actual: NorthEast United FC
Nº da Camisola: 20
Posição: Extremo
Clubes Anteriores: Sporting CP, FC Barcelona, SL Benfica, Atlético de Madrid, Besiktas JK e RCD Espanyol

Taça de Portugal
Época: 2003/2004
Clube: SL Benfica


SuperLiga Portuguesa
Época: 2004/2005
Clube: SL Benfica


Supertaça Portuguesa
Ano: 2005
Clube: SL Benfica


Liga Europa da UEFA
Época: 2009/2010
Clube: Atlético de Madrid


Supertaça Europeia
Ano: 2010
Clube: Atlético de Madrid


Taça da Turquia
Época: 2010/2011
Clube: Besiktas


Campeonato da Europa Sub-17
Ano: 1996
País anfitrião: Áustria
Giovanni Trapattoni:
«Simão Sabrosa representa, no futebol moderno, o jogador completo.»

José Mourinho:
«Simão é de um nível superior a todos os demais, com ritmo, classe, inteligência táctica.»

Rafael Benitez:
«Simão é um excelente jogador. Tem qualidade, velocidade e experiência.»

Ronald Koeman:
«Eu estava no Barça B quando Simão chegou ao clube. Pode ser que na altura fosse demasiado jovem, mas agora explora as suas qualidades. É rápido, joga nas duas alas e o seu rendimento é bom […] É um jogador muito importante.»

2017:
Novembro 2017
Outubro 2017
Setembro 2017
Agosto 2017
Julho 2017
Junho 2017
Maio 2017
Abril 2017
Março 2017
Fevereiro 2017
Janeiro 2017

2016:
Dezembro 2016
Novembro 2016
Outubro 2016
Setembro 2016
Agosto 2016
Julho 2016
Junho 2016
Maio 2016
Abril 2016
Março 2016
Fevereiro 2016
Janeiro 2016

2015:
Dezembro 2015
Novembro 2015
Outubro 2015
Setembro 2015
Agosto 2015
Julho 2015
Junho 2015
Maio 2015
Abril 2015
Março 2015
Fevereiro 2015
Janeiro 2015

2014:
Dezembro 2014
Novembro 2014
Outubro 2014
Setembro 2014
Agosto 2014
Julho 2014
Junho 2014
Maio 2014
Abril 2014
Março 2014
Fevereiro 2014
Janeiro 2014

2013:
Dezembro 2013
Novembro 2013
Outubro 2013
Setembro 2013
Agosto 2013
Julho 2013
Junho 2013
Maio 2013
Abril 2013
Março 2013
Fevereiro 2013
Janeiro 2013

2012:
Dezembro 2012
Novembro 2012
Outubro 2012
Setembro 2012
Agosto 2012
Julho 2012
Junho 2012
Maio 2012
Abril 2012
Março 2012
Fevereiro 2012
Janeiro 2012

2011:
Dezembro 2011
Novembro 2011
Outubro 2011
Setembro 2011
Agosto 2011
Julho 2011
Junho 2011
Maio 2011
Abril 2011
Março 2011
Fevereiro 2011
Janeiro 2011

2010:
Dezembro 2010
Novembro 2010
Outubro 2010
Setembro 2010
Agosto 2010

2009:
Junho 2009

2007:
Julho 2007

2004:
Dezembro 2004

2002:
Novembro 2002

2001:
Agosto 2001
Julho 2001

2000:
Junho 2000