Segunda-feira, 30 de Julho de 2001

Milhares de adeptos na Luz festejam Simão Sabrosa

scanner 112 (5).jpg

 

O dia do Benfiquista levou domingo ao Estádio da Luz dezenas de milhares de adeptos. A afluência foi aumentando com o passar das horas e o ponto mais alto verificou-se com a apresentação da última contratação encarnada, o antigo jogador do Sporting Simão Sabrosa. Nesse instante, as bancadas receberam 20 mil pessoas, que enfrentaram o calor da tarde e as filas que se acumularam para assistir aos primeiros passos do extremo-direito no relvado da Luz.

 

Mas a verdadeira festa decorreu à volta do estádio. Às dez horas, as 38 filiais e casas encarnadas começaram a receber os primeiros visitantes. A atmosfera era de festa, apesar da ausência total de futebol. Não estava programado nada, nem um pequeno jogo de exibição que ajudasse a atrair a multidão. No entanto, os adeptos benfiquistas atravessam um período de euforia absoluta e qualquer justificação serve para os levar em romaria até ao estádio.

 

Domingo voltou a ser assim. E é muito provável que no jogo de apresentação com a Fiorentina, marcado para o próximo domingo, a afluência volte a atingir números elevados, apesar da transmissão em directo pela TVI. As expectativas à volta da equipa são imensas e, desde o primeiro dia de estágio em Nyon até hoje, os jogadores ainda não fizeram um único treino sem o olhar escrutinador dos adeptos.

 

Terça-feira, o cenário voltará seguramente a repetir-se. Apesar do calor e de ser época de férias, a presença de emigrantes compensa a ausência dos habituais grupos de sócios que frequentam o estádio durante a época futebolística. Na festa de ontem, a presença de muitos portugueses residentes no estrangeiro foi aliás um dos factos mais salientes. Todos os anos é assim, mas durante esta pré-temporada o entusiasmo acompanhou o ritmo intenso das contratações.

 

Quantos mais nomes foram anunciados e apresentados, mais gente passou a deslocar-se à Luz. Tanto interesse reflectiu-se também na loja do clube. As solicitações foram tantas, que as novas camisolas esgotaram ao final da tarde. Desta vez, não sobraram sequer os números menos mediáticos, como os defesas, que geralmente ficam para o fim à espera dos últimos compradores.

 

O museu do clube também se ressentiu da tanto interesse. Apesar da impossibilidade de calcular o número de pessoas que visitou o Estádio da Luz – o trânsito de adeptos manteve-se durante todo o dia –, a verdade é que em certas alturas a concentração ultrapassou a resposta das infra-estruturas. O museu, por exemplo, às 17h30 já estava de portas fechadas. Sobravam as bancas de sardinhas e o parque de diversões improvisado para ocupar a multidão. Ao fim do dia, o som dos UHF, já habitual nestas circunstâncias, encerrou os festejos.

 

Fonte: Record

publicado por Sara Branco às 17:56
link do post | comentar | favorito