Quarta-feira, 11 de Maio de 2016

Simão: «Jogadores devem viver este momento com orgulho»

kkk.png

© Record/Paulo César

 

Na temporada de 2004/05 o Benfica chegou à última jornada com três pontos de vantagem sobre o FC Porto, mas como tinha desvantagem nos confrontos diretos (0-1 em casa e 1-1 fora), estava obrigado a empatar no Bessa. Foi precisamente o que aconteceu, com Simão Sabrosa a colocar as águias em vantagem, de penálti, e Gaúcho a empatar ainda antes do intervalo.

Doze anos depois, Simão Sabrosa mantém vivas as recordações de uma semana muito especial na sua carreira.

"Foi uma semana de ansiedade a dobrar, porque estava a acabar o campeonato, e se normalmente já sentimos ansiedade antes de qualquer jogo, naquele caso era mais especial. No último jogo, e decisivo, parece que o tempo não passa, nunca mais chega o jogo, para podermos jogar e ganhar", revela o avançado.



Simão Sabrosa recorda que naquela época não havia muitos jogadores que já tivessem vivido a experiência de ganhar um campeonato.
"Sim, na altura o Benfica estava numa fase de transição, para melhor, claro, pois vinha de uns anos menos bons. Tinha sido construído o estádio novo, a academia, e havia grande vontade de voltar a ganhar o campeonato. Tínhamos ganho a Taça de Portugal com o Camacho, mas faltava-nos o título de campeão nacional. Os clubes vivem de títulos e os jogadores também. Naquele plantel havia poucos jogadores que já tinham sido campeões e por isso havia uma grande vontade de saber o que isso era."

A semana e o jogo são vividos de maneiras diferentes, recorda o antigo avançado encarnado.

"A semana é de grande euforia e o facto de tudo se decidir no último jogo aumenta o nervosismo, mas quando se entra em campo sabemos o que temos de fazer e estamos conscientes da responsabilidade. Mas a semana anterior é difícil, de grande nervosismo, grande ansiedade, mas tudo vale a pena quando se chega ao último jogo e se é campeão", assegura Simão Sabrosa.

Se hoje pudesse dirigir uma palavra ao plantel encarnado, Simão falaria de orgulho.

"O que poderei dizer aos jogadores do Benfica é que têm de estar orgulhosos pelo que já fizeram e pela situação em que se encontram. Passaram por momentos difíceis no início, mas por tudo o que fizeram só podem mesmo estar orgulhosos de si, do clube e dos adeptos. Devem estar orgulhosos e tranquilos, isso é o mais importante", sublinha o antigo capitão.
 
Fonte: Record

 

publicado por Sara Branco às 17:27
link do post | comentar | favorito